Universidade Para Mulheres.

Projetodado por:  Dominique Perrault Architecture

Hoje sendo o maior campus da cidade de Shinchon. Uma solução global paisagística que entrelaça o campus EWHA com a cidade. Este gesto, o “campus vale”, em combinação com a “tira de esportes”, cria uma nova topografia que afeta a paisagem circundante.

É uma avenida, descendo suavemente, controlando o fluxo do tráfego, levando a uma escada monumental carregando para cima dos visitantes, recordando les Champs Elysees ou o Campidiglio em Roma.

Como um outdoor horizontal, a faixa de esportes apresenta a vida da universidade para os habitantes de Shinchon, e vice-versa. Depois de atravessar a faixa de esportes, um novo “Champs Elysees” convida o público para o local carregando estudantes e visitantes através do norte do campus.

É precisamente essa flexibilidade (conceitual e real) que permite que o centro campus Nova EWHA inevitavelmente aparecer na paisagem, por vezes, um edifício, por vezes, uma paisagem, por vezes, uma escultura.

Mais projetos incríveis em: ArchDaily

Fotos: André Morin / DPA / Adagp

See it also in english!

The complexity of the immediate site through its relationship to the greater campus and the city of Shinchon to the south demands a “larger than site” response, an urban response, a global landscaped solution which weaves together the tissue of the EWHA campus with that of the city. This gesture, the “campus valley”, in combination with the “sports strip”, creates a new topography which impacts the surrounding landscape in a number of ways.
A new seam slices through the topography revealing the interior of the EWHA campus center. A void is formed, a hybrid place, in which a variety of activities can unfold. It is An avenue, gently descending, controlling the flow of traffic, leading to a monumental stair carrying visitors upwards, recalling les Champs Elysees or the Campidiglio in Rome.
Like a horizontal billboard, the sports strip presents the life of the university to the inhabitants of Shinchon, and vice-versa. Once through the sports strip, pedestrian movement and flow through the site is celebrated. A new “Champs Elysées” invites the public into the site carrying students and visitors alike through the campus center northwards, bringing together the different levels of the site.
It is precisely this flexibility (conceptual and real) which permits the New EWHA campus center to inevitably weave itself into the landscape sometimes a building, sometimes a landscape, sometimes a sculpture.
Anúncios

Fabulosos Livings

Por: Vinicius Reimberg Santos

Aquele lugar precioso que para a maioria das pessoas passa despercebido, a sala de conversas, Sala de estar ou até Living Room.

Em minha opinião a comunicação familiar esta tendendo a se perder dia após dia em uma grande parcela das casas. Desculpas como a correria, e o cansaço não podem atrapalhar a união de uma família. Trouxe então 09 ambientes de salas de estar para que possam nos inspirar a criar ambientes de convívio, de conversas gostosas e porque não, acompanhadas de um café (de sua preferência). 😉

Um ambiente simétrico para os clientes mais clássicos, que preferem algo mais formal. Podendo ser usado tanto para reuniões familiares, quanto para alguma conversa de negócios, após algum jantar mais elaborado.

Não precisamos efetivamente de um pé direito duplo para usarmos o recurso de uma faixa de papel de parede e molduras de gesso. Quadros neutros, porém com tons mais escuros, proporcionam o contraste para ambiente claro. O uso da vegetação podada vem como um toque final no estilo clássico.

Ambientes claros e predominantemente brancos são perfeitos para refletir a luz solar. Consequentemente ambientes brancos (e minimalistas) muitas vezes trazem uma atmosfera pouco convidativa, o uso de almofadas (coloridas), tapetes de lã e algodão mais “cheios”  e cortinas mais densas, quebram o clima frio.

O lambril sem dúvida trás a delimitação que pode ir até a altura das janelas, o uso de outro revestimento acima do lambril encaixa -se perfeitamente na ambientação. Nesse ambiente a cor predominante acaba sendo os tons amarronzados, por isso, o uso de tapetes azuis compôs o ambiente de uma forma inteligente.

Quando temos um living bem iluminado, abre mais um legue de possibilidades, podemos com isso, usar tonalidades mais escuras nas paredes, no piso, na mobília… Tanto em peças pequenas de destaque, como em uma peça grande (sofá).

As ambientações rústicas me inspiram muito, eu achei essa foto incrível de um living no campo. Madeiras grossas e de demolição são uma ótima pedida para esses espaços, além da lareira.  O uso das mantas completam o clima caloroso do ambiente. Com uma decoração em tons e materiais mais sólidos, é possível brincar com o tapete, trazendo desenhos floridos ou com mais formas.

No living abaixo vemos isso com essa estante triangular, fruto de uma arquitetura irregular, diferente das linhas retas que vemos em projetos acadêmicos. Uma missão para os designers de interiores é buscar soluções criativas para supostos problemas.

Uma lição que eu aprendi esse semestre é: Se não podemos “esconder” algo que não está se encaixando… ASSUMA – O.

Mais um lindo living. Esse encontrado na área externa, onde as intenções ficam bem claras no uso das cores e da madeira: Paredes de madeira pintadas de branco com pequenos detalhes em cor marrom, o telhado sem forro mostrando toda a estrutura e em cor natural.

E por fim, o mobiliário tem quem almofadas com a mesma tonalidade marcante. Uma pincelada de amarelo na vegetação dá um toque final lindo!

Algo que tem sido comentado em algumas revistas esse mês foi o uso de cores fortes e marcantes em algum mobiliário. Nesse Living o livreiro fica um pouco mais afastada da área dos sofás, mas sem duvida não passa despercebida com o vermelho laqueado. (foto da ELLE decor)

Nesse ultimo living, o uso de cores marcantes não foi concentrado em um único móvel, o uso do amarelo, cor que trás a criatividade. O ambiente é claro como um todo, fazendo com que nada “brigue” com o amarelo, e nem deixe ele “gritante”.

See it Also in English!

By: Vinicius Reimberg Santos

That precious place that for most people goes unnoticed, the chat room, Living room or even Living Room.
In my opinion family communication tend to be losing every day in a large proportion of the houses. Excuses like the rush, and fatigue can not hinder the union of a family. Brought then 09  living rooms that can inspire us to create living environments, conversations and why not hot, accompanied by a coffee (your choice). 😉
Do not really need a double-height for us to use the resource of a strip of wallpaper and plaster moldings. Tables neutral, but with darker shades, provide contrast for bright environment. The use of vegetation pruned, as a final touch comes in the classic style.
Predominantly white and bright light are perfect to reflect the light and sunlight. Consequently white environments often bring an uninviting atmosphere, the use of many colorful pillows, woolen carpets and cotton curtains fuller and denser, breaking cold weather.
The wainscot undoubtedly behind the delimitation of up to the height of the windows, the use of other coating above the wainscot fits perfectly in the setting. In this environment ends up being the predominant color brownish tones, so the use of blue mats composed environment in an intelligent way.
The rustic ambiences inspire me a lot, I found this incredible photo of a living in the countryside. Thick woods and demolition are a great option for those spaces, and the fireplace. The use of warm blankets complete the atmosphere of the environment. With a decor and more solid materials, you can play with the carpet, bringing floral designs or more ways.
In living below we see that with this triangular shelf, the result of an irregular architecture, unlike the straight lines we see in academic projects. A mission for interior designers is supposed to seek creative solutions to problems.
One lesson I learned this semester is: If we can not “hide” something that is not fitting … TAKE IT.
When we have a well-lit living room, opens more possibilities for a legue we can with it, use darker shades on the walls, floor, furniture … Whether in small parts of prominence, as in a large piece (sofa).
Another beautiful living. One found in the outer area, where the intentions are very clear in the use of colors and wood: wooden walls painted white with brown color in small details, the roof lining without showing the entire structure and natural color.

And finally, who is the furniture cushions with the same striking hue. A splash of yellow in the vegetation gives a lovely finishing touch!

Something that has been reviewed in some magazines this month was the use of strong colors and striking at some furniture. In Living the bookseller gets a little further away from the area of the couches, but no doubt does not go unnoticed with red lacquer. (Photo ELLE decor)
In this last living, the use of color marking is not concentrated in a single mobile, the use of yellow, bringing the creativity. The environment of course as a whole, leaving nothing “fight” with the yellow color, and not let it “scream” on the Living.

Armazém-Moradia em Nova York

Muito jargão arquitetônico foi derramado sobre esse Loft, mas ninquem deixará de olhar esse espaço fresco, dinâmico e alongado.

Este não é exatamente uma casa aconchegante, mas sua força brutalista se encaixa perfeitamente em Manhatta.

O Townhouse Armazém invertido recebeu inúmeros prêmios nos EUA. É a criação de Dean-Wolf Arquitetos de Nova York, onde arquiteto e designer Charles Wolf Eunjeong Seong estavam encarregados do projeto.

As escadas visíveis que criam uma sensação de elevador e um movimento ascendente. Podendo fazer uma ressauva nas grandes superfícies de aço, tijolos e vidro. Um dos pontos mais incríveis do projeto é a visibilidade entre os andares e de espaço em espaço que resolve o problema potencial de quartos escuros “boxy” dentro de um armazém sem janelas.

É uma conversão impressionante de um loft dentro de um grande armazém, que abrange todo o lote, não deixando espaço para fora do espaço de jardim ou pátio.

As principais realizações do trabalho Dean-Wolf está cortando o teto abrir para deixar a luz natural e, em seguida, utilizando painéis de vidro para deixá-la brilhar no escuro centro da estrutura.

Ao fazer isso, eles também criaram dentro do espaço “outdoor”, fazendo com que a residência sinto que tem um pátio. Eles também criaram um deck amplo no jardim fora da sala principal.

Para abrir as áreas-chave da residência para a luz natural, a entrada principal, através de um elevador, está agora no quinto andar, onde os espaços públicos e os quartos, salas de jogos e estudo estão localizados.

Veja mais postagens sobre design e arte em : The cool Hunter

Read It Also In English:

Inverted Warehouse Townhouse – New York
Much architectural jargon has been lavished on this Tribeca warehouse loft renovation.

This is not exactly a cozy home but its brutalist strength fits an old Manhattan warehouse well.

The Inverted Warehouse Townhouse has received numerous U.S. awards. It is the creation of Dean-Wolf Architects of New York, where architect Charles Wolf and designer Eunjeong Seong were in charge of the project.

We like the visible stairs that create a sense of lift and movement upward. We like the large surfaces of brick, steel and glass. We like the visibility between floors and from space to space that solves the potential problem of dark boxy rooms inside a windowless warehouse.

It is an impressive conversion of a loft (of 10,500 square feet) within a vast warehouse that covers the entire lot, leaving no room for outside space, garden or patio.

The main achievements of Dean-Wolf’s work are cutting the roof open to let the natural light in and then using glass panels to let it shine into the dark centre of the expansive structure.

By doing this, they also created “outdoor” space inside, making the residence feel like it has a courtyard. They also created a large garden deck off the main living room.

To open up the key areas of the residence to this natural light, the main entry, via an elevator, is now on the fifth floor where public spaces and the bedrooms, playrooms and study are located. In a more typical townhouse, this “parlor” floor would be accessed through the front steps of the building.